Última atualização em .

O RN quebrou?

#update_1 26/12/17 08:45

analisando os balanços de 2016 e 2015 vi nas entrelinhas o que a população do RN vê empiricamente: o governo tem dificuldade de colocar as contas em dia... salários de ativos e inativos estão atrasando e essa é só a ponta do iceberg. Vamos aos fatos

Uma profunda dificuldade institucional provocada pela inabilidade do "ser político" em fazer gestão... em um cenário de frustração de receitas o que mais se vê é o "ser político" em esperar que soluções alienígenas apareçam e que tudo se resolva e seja esquecido... mas nem sempre se tem final feliz nas histórias, principalmente na vida real. O que se tem é o trabalho árduo e resultado demoraaaaado. Acima as receitas de 2015 e 2016... quase 400 milhões a menos de receitas...

O mais delicado é a forma como tudo é tratado em termos de apresentação de resultados... O déficit de 2016 é apresentado como de R$ 40 milhões apenas mas há frustração na receita em 2016 de mais de R$ 469 milhões.

Essa foi a diferença nas receitas em 2016.

 

Foi considerado apenas as despesas empenhadas e aparentemente não considerado o incremento no passivo circulante (dívidas flutuantes) que incrementaram mais de R$ 600 milhões só em 2016. Embora as despesas empenhadas já foram "filtradas" para caber no orçamento do ano. Dessa forma apura-se um déficit menor que o real. Isso não é o que se conhece por prejuízo? E porque isso não fica evidenciado no balanço patrimonial na conta dos resultados acumulados? Como o saldo aumentou se teve incremento de contas a pagar em aberto? De acordo com meus cálculos, em 2015 o déficit nas contas foi de R$ 479 milhões e em 2016 de R$ 1,8 bilhão.

Engana-se quem acha que o atual governador não está fazendo nada... Mas ele pegou uma bomba sem pavio... O RN tem cultura de funcionalismo público e embora ele tenha feito muitos cortes (variações diminutivas) ele teve que assumir muitos reajustes (variações aumentativas). Cortou R$ 39,7 bi e aumentou R$ 40,2 bi. É um pesadelo... Da última vez que li sobre, no RN mais de 40% das pessoas com rendimentos recebem como funcionários públicos, ou seja, não estão no setor produtivo... Tem como funcionar isso?

Tem receita em 2016 de R$ 10,1 bi e gasta R$ 8,5 bi com folha? 84,28%???

Obs: grife aí esse valor destinado para a folha do nosso judiciário e essencial à justiça... mais de R$ 1 bi...

Os recursos são tão insuficientes para a manutenção das despesas correntes que a conta só começa a dar "quase" fechar com os aportes das transferências financeiras e recebimentos extraorçamentários.

Fico imaginando a dificuldade de mexer nos vespeiros dos orçamentos do judiciário seus duodécimos, auxílios-moradia, tetos com "pé direito" beeeeem elevados, aposentadorias compulsórias, pensões por motivos tais e quais... UERN, não vender ativos como o terreno do Juvenal Lamartine e não abrir capital da CAERN são outros sinais da dificuldade política de apoio para melhorar a situação fiscal do estado. Pobre RN sem sorte...

Eu escrevi em 2011 um raio-x do porque o RN é pobre... sabe o que mudou? Nada!!! Que diabo a Tam vai vir botar um hub aqui? O único projeto que rompia a transmissão da miséria de geração para geração aqui no estado foi a ZPE do Sertão que tive a honra de participar e a tristeza de ver morrer... Conseguimos um investidor que trouxe US$ 18 bi para o projeto. Imagina de quem foi a culpa por não ter dado certo? Vou dar uma dica nesse link.

A gestão financeira está boa. O problema é a frustração das receitas. Comparando os números de 2015 x 2016:

- O endividamento bancário x passivo reduziu de 61% para 49% do passivo

- a liquidez (capacidade de pagar dívidas) caiu de 4,4 para 3,6, ou seja, para cada R$ 1,00 de dívida o estado ainda tem R$ 3,6 para honrar os compromissos

- o capital de giro CDG (fonte de fundos que financiam a empresa) se manteve estável de R$ 1,2 bi para R$ 1,1 bi

-  necessidade de capital de giro NCG (necessidade de recursos para manter as atividades) ficou negativa, ou seja, a máquina do estado se tornou mais eficiente em girar os recursos do estado de forma que estes estejam disponíveis na forma de receitas antes que sejam exigíveis na forma de despesas

- o saldo de recursos em tesouraria (sobra de recursos após giro das operações) melhorou e subiu de R$ 1,1 bi para R$ 1,4 bi

Ou pelos R$ 40 milhões ou pelo número que acho o real de R$ 1,8 bi de déficit certamente as receitas não vão subir milagrosamente... esse déficit só tem previsão de piorar pois o problema do orçamento estadual é com os gastos correntes que aumentam corrigidos pela inflação (pena que a PEC 55 do teto dos gastos não abrange estados e municípios) e não pelos investimentos (vamos rir um pouco rsrsrs). Friso: a culpa não é do atual governador... Ele só não tem como contornar esse incremento dos gastos correntes com receitas frustradas e sua vivência como advogado e político lhe credenciam como "ser político" e não como gestor, o que lhe deixa ainda mais de mãos atadas... É... Tempos (mais) sombrios estão por vir... Se o RN fosse uma empresa ele estaria "travado" com receitas e despesas em um empate mais pra derrota... Isso é um passo da falência... reformas, demissões, vendas de ativos e revisões de isenções fiscais se fazem urgentes...

Pingbacks

Pingbacks estão abertas.

Trackbacks

Trackback URL

Comentários

Ainda não há comentários.

Publique seu comentário